Tag Archives: História da Moda

Risca de Giz

5 jun

Um terno risca de giz é tão sofisticado, não é?! Eu acho lindo.

Você quer conhecer um pouquinho da história desse terno lindo? Então olha ai o que eu achei sobre ele.

Origem

O único aspecto da origem do terno risca de giz em que os historiadores concordam é que suas raízes são inglesas. Além disso, há duas histórias diferentes sobre a sua criação – uma dentro dos bancos e outra nos esportes. Alguns sustentam que o primeiro terno risca de giz foi usado como uniforme em bancos, tendo suas listras ligeiramente alteradas para identificar diferentes cargos ou bancos. Outros dizem que a risca de giz passou a fazer parte da indumentária formal masculina à partir do mundo dos esportes, especificamente dos uniformes de canoagem do século 19.

 

Da década de 20 a década de 40

Os ternos risca de giz se tornaram populares nos Estados Unidos entre as décadas de 20 e 30. Eles eram os uniformes não-oficiais nos bares durante o período da Proibição, com gangsters e músicos de jazz, como Al Capone e Dizzy Gilespie, transformando-os na escolha daqueles que gostavam de se vestir bem. Famosos astros do cinema, como Cary Grant e Clark Gable, fizeram o terno risca de giz a se tornar popular quando acabou a Proibição. Existem rumores de que os ternos risca de giz que Gable usou em “E o Vento Levou…” inspiraram os ternos com calças largas e cinturas altas e paletós com grandes ombreiras, conhecidos como “zoot.”

 

O mais famoso terno risca de giz

Talvez, a pessoa mais famosa a usar ternos risca de giz tenha sido o lendário Primeiro Ministro Britânico Winston Churchill. Ele os usava por uma questão de hábito e conforto ao longo de sua carreira. Um terno famoso foi o “siren”, desenhado pelo próprio Churchill, uma peça única usada em suas longas noites durante os ataques da Segunda Guerra Mundial. Essa peça foi imortalizada em icônicos retratos e, em 2002, foi arrematada por aproximadamente R$ 100 mil em um leilão.

 

O risca de giz hoje

O risca de giz se tornou uma parte integral da moda ocidental. Hoje em dia, não mais é incomum ou icônico. Similar aos outros cortes e estilos de ternos, a risca de giz é apenas mais uma das diversas opções para o homem moderno. Além disso, passou a ser um item fundamental do guardar-roupa feminino, usado em ternos, vestidos e calças. O apelo do risca de giz perdurou ao longo de diversas tendências e décadas e esse terno continua a ser uma escolha popular para as pessoas no mundo ocidental.

Fonte:http://www.ehow.com.br/historia-terno-risca-giz-info_44560/

 

ImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemDébora Souza 05.06.2013

Anúncios

Pretinho. O básico.

22 abr

Quem vive sem o famoso pretinho básico? Eu não e você? Mas será que ainda da para chamá-lo de básico? Se sim, se não, cada um tem sua opinião. Então, segue pra você a história desse coringa do guarda-roupa.

Até os anos 20, as jovens eram proibidas de usar preto. E as senhoras, apenas o usavam em períodos de luto. Aclamado desde o seu “nascimento”, em 1926, – época em que a “Vogue” lançou uma publicação com um modelo criado por Channel – o preto se tornou um coringa no guarda-roupa. Além de ser considerado como a cor do pecado e do sobrenatural, do ascetismo, do luto e dos góticos.
Durante a década de 30, entre a quebra da bolsa de Nova York e a 2ª Guerra Mundial, o preto começou a ganhar espaço. Principalmente pelo fato das mulheres começaram a trabalhar fora de casa; o que exigiu roupas mais sóbrias e sérias.
No ano em que o estilista francês Christian Dior lançou seu new look (em 1947), o preto se transformou em um novo estilo de roupa. Mas, a partir da década de 60, tornou-se realmente famoso; ainda mais depois de um “pretinho básico” chique, usado por Jacqueline Kennedy, ou um elegante e feminino, usado por Audrey Hepburn, no filme “Bonequinha de Luxo”, de 1961.
Peça fundamental em ambientes dramáticos representou muito bem “Hamlet e Horácio”, as femme fatale, os romances góticos e os filmes noirs.
Encontrado nos modelos dos melhores (e piores) estilistas, o preto é, pelo menos para Christian Lacroix, “o início de tudo, o ponto de partida, a silhueta, o recipiente – e depois o conteúdo”.
Depois de toda a psicodelia dos anos 70, o “pretinho básico” disputou poder com os homens durante os anos 80. E, em seguida, durante os anos 90, deixou de ser tão básico assim. Fonte:http://jornaltres.blogspot.com.br/2008/07/histria-do-preto.html

 

ImagemImagemImagemImagem

ImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagem

 

 

Meu preto básicoImagemImagem

 

Livro sobre a História do preto

Imagem

Sinopse

Durante bom tempo, o preto foi considerado uma cor pura ou verdadeira. Mas a invenção da imprensa, a difusão da imagem gravada, a Reforma Protestante e a descoberta do espectro de luz por Newton reduzem a sua importância. Para corrigir isso, o livro narra a longa história do preto nas sociedades europeias, as práticas sociais da cor (vocabulário, vestuários) e suas implicações artísticas, levando em conta a ambivalência do preto, que ora pode significar uma boa influência (fertilidade, dignidade, elegância), ora uma influência perniciosa (tristeza, luto, morte).

 

Bjus amores! E não esqueçam de curtir a página do Blog no FACE.

História da Moda / Sapatos

30 mar

Desde sempre amamos sapatos. Yesterday, today and tomorrow we will love shoes… For ever and ever! Exagerada eu, não?! Não. É sério. Amamos mesmo e ponto final.

“Alguns estudos mostram que há pinturas paleolíticas em cavernas da França e Espanha indicando a existência de calçados já em 10.000 a.C. Porém, há pesquisadores que afirmam que os sapatos foram inventados na Mesopotâmia, onde atualmente fica o Iraque, há mais de 3.200 anos. Eles eram feitos de couro macio para que os antigos pudessem atravessar trilhas montanhosas.

No Egito Antigo, entre 3.100 a.C. e 32 a.C., apenas os nobres usavam sandálias de couro. Os faraós usavam calçados deste tipo adornados com ouro.
Os gregos, que criaram os preceitos fundamentais da civilização ocidental, mostraram vanguarda não só na filosofia, na ciência e na política, mas também na moda: estudos mostram que alguns chegaram a usar um modelo diferente em cada pé.

Durante o Império Romano, os calçados denunciavam a classe ou grupo social do indivíduo. Os senadores utilizavam sapatos em cor marrom, em modelos que amarravam na panturrilha por quatro tiras de dois nós. Para os cônsules romanos a cor indicada era o branco. Os calçados das legiões eram as botas de cano curto. Mulheres calçavam sapatos brancos, vermelhos, verdes ou amarelos.

Na Idade Média, a maioria dos sapatos tinha a forma das atuais sapatilhas. Eram feitas de couro. Nobres e cavaleiros usavam botas de melhor qualidade.

O rei Eduardo (1272-1307), da Inglaterra, padronizou a numeração dos sapatos. No mesmo país, em 1642, há o registro da primeira produção “em massa” de sapatos em todo o mundo: Thomas Pendleton fez quatro mil pares de sapato e 600 pares de botas para o Exército.

Durante a Revolução Industrial, no início no século XVIII, na Inglaterra, as máquinas passaram a produzir calçados em larga escala.

No século XX, novos materiais, técnicas e tecidos entram na produção, que passa a ser setorizada entre design, modelagem, confecção, distribuição, entre outros setores. A necessidade dos atletas obterem um melhor desempenho em competições originou um novo segmento na indústria, voltado aos esportes, o que possibilitou a criação de tênis tecnológicos, que invadiram o vestuário de todos grupos sociais. Além disso, a explosão da moda entre o público médio, a partir dos anos 80, também possibilitou o aumento do número de pessoas que passaram a consumir calçados de grife, tanto os mais simples quanto aqueles assinados por grandes estilistas. Verdadeiros artigos de luxo.

Curiosidades sobre os calçados

No século XIV, os sapatos ingleses ficaram tão pontudos que se tornaram um perigo, fazendo o rei Eduardo III baixar um decreto limitando os bicos a no máximo cinco centímetros de ponta. Ignorando a lei, os sapatos no país chegaram a ostentar até 50 cm de comprimento. Para andar, era preciso prendê-los à cintura com cordão de seda.

Na França, no século XVI, os sapatos ficaram tão estreitos que para calçá-los os pés precisavam ficar mergulhos por uma hora em água gelada.

Na China, o culto aos pés exigia o uso de sapatos de no máximo 15 cm. Para calçá-los, as mulheres tinham os pés praticamente amassados, enfaixados em um cilindro para não crescerem.

Em Veneza, por volta de 1600, as plataformas ficaram tão altas que quem usasse precisava de criados para se movimentar.” Fonte:http://www.portaisdamoda.com.br

Imagem

Alguns de nossos queridinhosImagem

E não esqueça de CURTIR a página do blog  no FACE e seguir no TWITTER

Beijoks Débora Souza 29.03.13

História da Moda

14 mar

1830 Moda Romântico

Imagem

 

1850 Vitoriano

Imagem

 

1895 Belle Époque

Imagem

 

1900-1919

1914-1918 Período caracterizado com o Belle Époque (1889-1914). Silhueta em S.

Paul Pairet liberta a Mulher do espartilho, na segunda guerra mundial, por necessidade das mulheres precisarem trabalhar.Imagem

Surge a saia-calça para as mulheres poderem andar de bicicleta.

1916 Coco Chanel faz  Tailleurs de JerseyImagem

 

Débora Souza 13.03.2013

História da Moda

3 mar

A moda entrou em pauta na década de 90

Imagem

A palavra moda vem do latim Modus, significando modo, maneira. Fashion, moda em inglês, corruptela da palavra francesa Façon(modo, maneira).

No século 19 a moda mudava em média de 25 em 25 anos.

1809 Moda Império

ImagemImagemImagem

Isso foi uma pitadinha de História da Moda para vocês…. Outro dia tem mais!

Bjoks Débora Souza 03.03.2013

 

Gilvania Gil

blog de moda

Jcmattoso's Blog

Just another WordPress.com site

sunclockusa

Relógios e Óculos Importados e Originais!

Diário de Bordo

By: Aninha Carvalho | diariodaaninhacarvalho.com

Divo Cafeína

Bem vindo! Pegue sua xícara de café e fique a vontade!

Chame do que você quiser....

É tipo, uma mistura de "black" com "wishlist só que um tanto "dissident".... Whatever...

Artscool

Cantinho das Artes!

Rannielle Linhares

ranniellelinhares WordPress.com site

Blog Ale Serra

Life Style And Fashion Blogger

Reverie Side

By Daniela G. Pereira

MODA E ESTILO

LOJA SABRIDA E LOJA SARTORI

Tudo Fashion

© Brazilian Fashion Blogger/ Makeup artist ™✔

Risco Chic

Por Luiza Martins

My Blog

This WordPress.com site is the bee's knees

cenariodamoda.wordpress.com/

Por Alinne Campelo e Manú Costa

Vícios de Gabi

Viciada em Filmes, Música, Roupas, Sapatos, Bolsas, Maquiagem, Livros, Viajar, Aprender, Criar, Sonhar, Imaginar, VIVER

4Ladies Blog!

Um cantinho para compartilhar nossas futilidades.

It Girls Go Bad

Be "It" Darling!

Femme Futile

Blog de Moda

moda e magia

A topnotch WordPress.com site

Blog Trend Man

O blog que segue tendência.

Sweet Girl

Beleza, saúde, Fitness e Moda

Blog Brenda Soares

Moda, beleza e maquiagem

Gato Hype

Moda masculina, música, eventos e afins.

Table for 2

lifestyle

Camarim & Cia

BLOG da loja Camarim & Cia sobre moda, beleza, cultura e atualidades.

IT GIRL

MODA, MAQUIAGEM E BELEZA

Blog Garota Bonita

Nós amamos ser Garota Bonita

lineofdesign

O design em uma linha do tempo!

Lilian Takita

Vlogueira/Blogueira, parceira Style Haul Mundo

Lucy in Neverland

fashion is my passion